Charles Bukowski – Site

Gosto de Bukowski. Um escritor perigoso, escreve no fio da navalha.

Uma vida miserável. Dizia que escrevia Poesia porque estava sempre demasiado bêbado para escrever prosa. Exagero . Devia estar bêbado.

Fica um link com um espólio importante para interessados.

Pode ser consultado aqui.

Federico Fellini e Nino Rota – Artigo

Leio sempre ( ou quase sempre ) uma pequena critica ou ensaio sobre o filme que vou ver. ( eu sei que me pode influenciar o visionamento mas gosto assim e tenho distanciamento critico o suficiente para contrapor a minha opinião ao que li.).

Este é um artigo que li antes ( estou a “preparar-me”, aliás) do filme Prova d’orchestra de 1978, as últimas composições de Rota e , consequentemente, colaboração de dois génios, Fellini e Rota.

Com o meu amor pela música, é uma daquelas apostas certas , o filme, para uma noite de Sábado bem passada.

Fica o excelente artigo para abrir o apetite. Link aqui.

Literatura : E-Dicionário de Termos Literários

Nas minhas “viagens” em busca de criatividade esbarro em páginas de uma qualidade enorme e feitas por pessoas com uma amor pela Arte fora do comum.

Uma dessas , para aspirantes a escritores ou que gostam de mandar “coisas” para o papel para não rebentar ( estou a sair do “focus” ! ) fica esta página para consulta.

E-Dicionário de Termos Literários (EDTL).

Uma base de dados impressionante.

Call Center e Precaridade no Trabalho – Artigo Público 11/08/2013

O artigo completo pode ser acedido através deste link. Saiu no Público de hoje, 11.08.2013 e fez-me sentir envergonhado por um País que é apelativo para este tipo de trabalho e vê nisto uma saída para a crise ou pelo menos não se estar tão mal.  O conceito chave agora é , e cito, ” o competitivo custo do trabalho”. O que vêem de novo,  o Vale do Ave viu à muitos anos atrás com os resultados que se sabe.

Uma pérola descrita por uma (ex?) trabalhadora da empresa Teleperformance ( link para este aborto de empresa made in sec. XXI ).

Maria, segundo o relato que fez ao PÚBLICO, estava no seu posto,no call center da Teleperformance,

há várias horas. Como o sistema informático tinha caído, e era preciso esperar uns minutos para que recomeçasse, tinha-se levantado para esticar as pernas.

“Não pode estar de pé. É do regulamento.”

“Eu conheço o regulamento, mas preciso de levantar-me por um minuto”, responde Maria.

“Cala a boca.”

“Não podes tratar-me assim, sou um ser humano.”

“Se não estás satisfeita, a porta da rua é ali.”

Estas pérolas vão sendo debitadas ao longo do artigo e uma das suspeitas habituais destas precaridades é a Portugal Telecom, igualmente.

Mais que opinar, fica o link para tirarem as próprias conclusões. A mim só me dá vómitos.